ENTRE O DRAMA E A COMÉDIA

26.03.2019 
Por Cláudia Anaf

No novo filme do diretor, ator e roteirista Gilles Lellouche (Assim é a vida, 2017) Bertrand, um homem desempregado na faixa dos quarenta e sofrendo de depressão (Mathieu Amalric), vê um anúncio de nado sincronizado masculino e resolve tentar o esporte. Começa os treinos, e pouco a pouco ele vai conhecendo seus colegas de equipe, todos com problemas. A equipe é treinada por Delphine, uma mulher (Virginie Efira). Um dos membros do grupo tem a ideia de participar do campeonato mundial de nado sincronizado masculino, e é aí que eles encontram um projeto de vida. 

A obra, que possui drama e comédia entremeados, conta com um elenco de primeira. Mathieu Amalric (Bárbara, 2017), Benoit Poelvoorde (Saint Amour, na Rota do Vinho, 2015), Guillaume Canet, ator e diretor (Rock’n roll: Por Trás da Fama, 2016), André Dussolier (Essa Terra é Nossa, 2017). 

O filme possui bom ritmo, diálogos bem construídos, ficando o espectador atento aos rumos da história. Não à toa, foi “hours concours” no festival de Cannes de 2018. 

A película leva o espectador, de forma leve e com muitas risadas, a uma reflexão sobre preconceitos, bem como sobre a importância do grupo. Num mundo que estimula cada vez mais o individual, o trabalho em equipe é frequentemente desvalorizado. Os fracassos são centrados no indivíduo, e esse filme leva a repensar esse modo de vida. 

Diversão garantida, “um banho de vida” vai além, ao trazer um reflexão sobre o tipo de sociedade em que se quer viver.

0 comentários:

Postar um comentário