PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE

02.04.2019
Por Cláudia Anaf


A 24ª Edição do Festival Internacional de Documentários É TUDO VERDADE, 2019, como sempre desde o início de sua trajetória, costuma trazer filmes de temáticas interessantes. Este é o caso de NIÈDE – MEMÓRIAS DA VIDA (Niède, 2018), dirigida por Tiago Tambelli (Escolas em Luta,2017).

O documentário aborda o trabalho da arqueóloga Niède Guidon, que revelou ao mundo as escritas ruprestes, na Serra da Capivara, Piauí, em 1973. Desde então ela dedica sua vida à estas escavações, que foram reconhecidas como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Os achados da arqueóloga, mundialmente reconhecida, remontam há 58.000 anos, trouxeram questionamento sobre a chegada do homo sapiens nas Américas. Até então a teoria aceita era de que o homem viera pelo estreito de Bering. Guidon apoia a hipótese de que os humanos vieram pelo Atlântico desde a África.

O filme aproxima o espectador da história de Guidon e das escritas ruprestes, que estão entremeados. A riqueza dos depoimentos da arqueóloga, conscientiza o público, da dificuldade de execução do trabalho de pesquisa, do esforço para encontrar recursos financeiros, da criação de um parque, da importância da preservação deste e dos projetos em andamento.

Assistir NIÈDE – MEMÓRIAS DA VIDA é uma oportunidade de saber mais não apenas um maravilhoso trabalho feito no Brasil, mas também da pré-história da humanidade. Embora um pouco longo, trata-se de um documentário bem feito, revelador de cenas impressionantes da natureza.

0 comentários:

Postar um comentário