Minha Mostra Internacional De Cinema 2016 – Parte 1

30.11.2016
por Marços Eça

Começando pelo Fim


A 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo foi encerrada no último dia 02 de Novembro, no Parque do Ibirapuera, com a projeção do filme A General (EUA, 1926, 79 min – cópia restaurada) de Buster Keaton e Clyde Bruckman. As pessoas presentes na sessão de cinema ao ar livre pareciam crianças pelo fato de se divertirem e rirem gostosamente com as situações singelas do filme. Nesse longa-metragem temos uma dimensão pessoal, a do maquinista Johnny Gray (Buster Keaton) e suas duas paixões: a locomotiva conhecida como A General e Annabelle Lee (Marion Mack), sua amada, que o considera um covarde por não lutar na Guerra de Secessão (1861-1865). Esta é a dimensão social e política do filme. Além de ser um delicioso longa-metragem, tivemos o privilégio de ouvir ao vivo a Orquestra Juvenil Heliópolis, tocando a nova trilha sonora do filme, sob a regência de seu autor, o maestro e compositor americano Robert Israel. Um dos melhores programas da Mostra de 2016.

Dos Filmes Estrangeiros


O primeiro filme a que assisti na 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo foi O Apartamento (The Salesman, Irã e França, 125 min) do diretor iraniano Asghar Farhadi. O longa começa com ambientes de um local que, pouco a pouco, notamos tratar-se de um cenário de uma peça de teatro cujo título saberemos posteriormente. Na sequência, há um corte e vemos vários moradores de um prédio, deixando seus apartamentos por causa do iminente perigo do edifício desmoronar. Dentre os moradores, temos o casal Rana (Taraneh Alidoosti) e Emad (Shahab Hosseini) que deixam o apartamento onde moram, sem saber exatamente onde viverão.Paulatinamente - desenvolver sem pressa é uma das características do cinema de Farhadi - sabemos que o cenário da abertura do filme é da peça de teatro A morte do caixeiro viajante (1949) de Arthur Miller, onde trabalham como atores não profissionais Rana e Emad - professor de alguma escola de adolescentes. Eles estão em processo de ensaio, dado que estrearão em breve. Um dos integrantes do grupo de teatro, Babak, oferece aos dois um apartamento para morar. Aceitam a oferta, porém após a mudança há um fato que alterará profundamente a vida de ambos. Esse acontecimento se torna uma dura questão a ser resolvida e mantém uma tensão latente em O Apartamento. Filme tão bom quanto A Separação (2011) que ganhou o Urso de Ouro no Festival de Berlim de 2011 e o Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro em 2012. Vale à pena ainda dizer que O Apartamento recebeu o prêmio de melhor ator para Shahab Hosseini e roteiro no último Festival de Cannes. Em breve nos cinemas.


A Atração (The Lure, 2015, 92 min) é um filme polonês dirigido por Agnieszka Smoczynska. Difícil classificá-lo por ser uma mistura de musical, fábula, filme de terror e de ação com alguns momentos românticos. Talvez seja por essa razão que o considerem um dos filmes mais exóticos da Mostra desse ano. Narra a história de duas irmãs sereias, Dourada (Michalina Olszanska) e Prateada (Marta Mazurek), que chegam a Varsóvia e acabam indo trabalhar em uma casa noturna, que lembra os cabarés do mundo comunista, cantando e dançando em dueto. Durante o longa, há diversas questões que fogem de nosso realismo cotidiano, sugerindo-me que o filme pode se alinhar ao realismo fantástico, como se estivéssemos lendo Cem Anos de Solidão de Gabriel Garcia Marquez. A trilha sonora é ótima. Há desde pop dançante - uma das primeiras canções é I feel love - a um rock mais intenso. A montagem é alucinante e frenética. Em diversos momentos, vem a sensação de estarmos assistindo a um videoclipe. Esteticamente, é um belo filme com cenas antológicas. Porém, nessa narrativa as sereias não somente cantam e sonham com o homem perfeito,dado que apresentam várias questões feministas da nossa sociedade atual. Curiosidade: recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival de Sundance.


Zoology (Zoologiya, Rússia, Alemanha, França, 83 min) é o segundo filme do diretor Ivan I. Tverdovskiy. Nele, Natasha (Natalya Pavlenkova) é uma mulher solitária de meia idade que trabalha em um zoológico. Ela é a responsável pela compra dos alimentos dos animais e sua relação com suas "colegas de trabalho" não é das melhores porque estas debocham dela constantemente. Mora com sua mãe e leva uma vida sem “grande sentido”. Até que um dia Natasha se da conta que um rabo cresceu nela. Envergonhada, decide ir ao médico para tentar resolver ou saber como lidar com essa situação.O médico pede que ela tire um raio-X, único exame solicitado por ele nas diversas vezes que ela vai à consulta. Ao fazer esse exame, acaba conhecendo o jovem radiologista Peter (Dmitriy Groshev), que muda muito a vida dela. Além de tudo isso, na vizinhança há um boato de que um enviado do diabo circula pelas redondezas. Esse é um filme que apresenta uma pessoa diferente - até que ponto conseguimos lidar e incorporar o diferente a nossas vidas? - e que por meio de um rabo faz com que uma mulher se reinvente. Filme diferente e que vale a pena ser visto.

Continuar lendo:

Um comentário:

  1. Acho muito bom ler esses apanhados que tanto contribuem para ampliar o conhecimento da inesgotável oferta de filmes.

    ResponderExcluir